ATÉ ONDE VAI A APTIDÃO DE UM JOGADOR PARA PROCESSAR COM SUCESSO NOVAS INFORMAÇÕES DURANTE UM JOGO?

Um amigo me emprestou o livro O Sinal e o Ruído – Por que tantas previsões falham e outras não do estatístico norte-americano Nate Silver. A obra faz parte das metas de leitura para 2018, sendo a recomendação deste mesmo amigo. A edição é 2013 e tem 543 páginas, sendo 465 páginas de texto. É um livro enorme! Muito interessante. Mas enorme.


Estou na página 122. O texto, até aqui, falou do site do autor FiveThirtyEight. Um site de previsões estatísticas que tem um extraordinário sucesso para prever os resultados das eleições norte-americanas em todas as esferas (presidente, congressistas e senadores). Quem dera nós tivéssemos algo assim para as eleições brasileiras. Alguém recomenda algum site? Se sim, por favor, deixe nos comentários.
Em uma segunda parte, o autor discorre sobre o uso de estatística para prever os resultados de beisebol. Aparentemente este esporte (uma paixão nos EUA) é mais fácil de prever do que outras modalidades, porque possui menos fatores não mensuráveis, que possam interferir. Também não conheço nenhum site estatístico que esteja prevendo os resultados da Copa do Mundo. Alguém conhece?
Os olheiros do beisebol inicialmente viam os estatísticos como inimigos que podiam tomar seus empregos. Mas hoje essa perspectiva mudou e ambos os lados já falam em integrar as duas perspectivas: o feeling dos olheiros com a análise dos dados.

Imagem retirada do site PixaBay.
Transcrevo a parte, segundo um olheiro, essencial para formar um grande atleta de beisebol e que não pode ser medida diretamente pelos dados:
·        CAPACIDADE PARA MANTER-SE PREPARADO E ÉTICA DE TRABALHO. Um jogador [de beisebol] não pode se preparar para estar motivado no dia do jogo, como acontece com os atletas do futebol americano ou do basquete; ele precisa estar pronto todos os dias para jogar em nível profissional. Isso significa que deve manter certo Grau de Disciplina.
·        CONCENTRAÇÃO E FOCO. Ainda que relacionada à questão da preparação, essa categoria diz respeito especificamente à maneira como um jogador se comporta durante uma partida. O beisebol é um esporte baseado no reflexo.
·        COMPETITIVIDADE E CONFIANÇA. Embora pareça óbvio que qualquer atleta profissional seja um competidor nato, jogadores de beisebol precisam Superar Dúvidas em Relação a Si Mesmos e Outros Obstáculos Psicológicos no Início da Carreira. Num momento, eles eram os melhores nos times do ensino médio; no dia seguinte, estão viajando num ônibus entre Kannapolis e Greensboro e lendo, na internet, sobre seus fiascos a cada vez que entram numa maré de azar. Quando vê um jogador talentoso apresentar um desempenho abaixo do seu potencial, o olheiro pensa: “Será que existe um desejo de ser bem-sucedido no mesmo grau do mecanismo de fracasso que está sendo acionado? Existe medo de fracassar? Será que o desejo por sucesso é forte o bastante para se sobrepor ao medo do fracasso?”
·        ADMINISTRAÇÃO DA PRESSÃO E HUMILDADE. No beisebol, mesmo os melhores rebatedores erram na maior parte das vezes, e todos os jogadores enfrentam uma fase ruim em algum momento da temporada. Lidar com esse fracasso exige uma memória curta e certo senso de humor.
·        CAPACIDADE DE ADAPTAÇÃO E DE APRENDIZAGEM. Até onde vai a aptidão de um jogador para processar com sucesso novas informações durante um jogo? Para ouvir os conselhos dos técnicos? Como ele se adapta quando sua situação de vida muda? E se seu passe for vendido? E se pedirem que jogue numa nova posição?
A escolha por essa parte do texto se deveu porque acredito que todas essas características fazem um vencedor ou uma vencedora em qualquer aspecto da vida pessoal e profissional. Vocês não acham? Será que faltou mais alguma coisa?

Imagem retirada do site PixaBay.

Boa Copa do Mundo! Desculpem-nos pelo atraso. Provavelmente o nosso próximo post será postado no domingo à tarde, como de costume. Muito obrigada a você que acompanha o nosso trabalho. Por favor, fique à vontade para deixar seus comentários. Também é possível acompanhar as novidades pela nossa página no Facebook.

BOA SEMANA!

BOAS LEITURAS!

Comentários

  1. Adorei o texto!!! Realmente regras que podem ser aplicadas no esporte quanto na vida! Basebol, um esporte que até hoje nunca consegui entender de verdade hehehe, muitas de suas jogadas ainda são incógnitas pra mim! Em relação ao uso de estatística em basebol, nunca li nada sobre, mas já vi um filme que fala sobre isso: "O Homem que Virou o Jogo" (Moneyball), com o Brad Pitt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele fala muito sobre esse filme no livro. Vou comentar no próximos posts.

      Excluir
    2. Também não conheço nenhum site estatístico que esteja prevendo os resultados da Copa do Mundo, mas depois que o polvo Paul acertou 100% das previsões de quem ganharia nos jogos da Copa de 2010, sempre tem gente tentando usar animais para prever resultados.
      Esse ano tem esse site: https://psychic-pets.com/
      rs

      Excluir
  2. Gostei do texto! Parece um bom livro para ler. Alguns aspectos apresentados como sendo essenciais para um jogador de beisebol, na verdade servem para outros jogadores de outros esportes.

    Acho que um bom exemplo é o jogador de basquete LeBron James. Ele é considerado o melhor da atualidade, foi o jogador mais novo a ganhar o Most Valuable Player (com 21 anos), que até hoje vem se superando e melhorando cada vez mais, que sempre fizeram pressão e depositaram uma expectativa de que ele superaria Michael Jordan. E ele realmente superou em alguns aspectos. É um excelente jogador, mas que por vários anos consecutivos chegou nas finais e ficou com o vice (das 9 finais que já participou, ganhou apenas 3). Antigamente sempre saiam várias notícias em finais da NBA, dizendo que ele foi o destaque em todos os jogos, mas que amarelou na final e por isso o time dele perdeu e ficou com o vice.

    Apesar disso, ele bateu vários recordes. Ano passado ele foi o primeiro jogador a terminar uma final com um triplo-duplo de média, mas um outro recorde que ele está chegando próximo é o de maior número de derrotas em finais. Fazendo uma comparação, Michael Jordan, considerado por muito como o melhor da história do basquete, ganhou todas as finais que participou (6 finais, perdeu somente 11 dos 35 jogos que participou). LeBron está, por enquanto, com 31 derrotas em 49 jogos (nas 9 finais). É praticamente perder 2 jogos em finais a cada 3 jogados. Só não "ganha" ainda do Jerry West (em valores brutos, não percentuais), que perdeu 33 de 55 jogos (em 9 finais).

    Falando de Jordan, a menor pontuação em uma final foi 22, e a maior foi 55, com uma média de 33,6 (em finais). Já LeBron varia entre 8 e 51. Sim, apenas 8. De 8 para 22 em um dia ruim é uma boa diferença, que ganha jogo, que vale o título em uma final. Não adianta ter uma boa média e ótimos máximos, se é inconstante.

    Eu diria que apesar de tudo isso, nos últimos 3 ou 4 anos que LeBron começou a ter uma pontuação média acima dos 30 pontos em finais (não na carreira) e começou a ser mais constante, bom sempre. Estou falando tudo isso, apenas para dizer que toda comparação, pressão, falta de experiência, falta de motivação, entre outros fatores, podem fazer as pessoas "amarelarem". E que não é só no beisebol que não pode se preparar apenas no dia para estar motivado, que isso tem que ser constante, sempre, com foco, mas que o tempo e experiência podem ajudar. E não só em esporte.

    Também acredito que as características apresentadas servem não somente para ganhar no beisebol ou em esporte, mas sim para vencer na vida.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

COMO SABER SE É UMA PESQUISA CIENTÍFICA DE VERDADE?

FERNANDO PESSOA: OUTRA VEZ TE REVEJO... - CLEONICE BERARDINELLI

TOMADA DE DECISÃO PARA PROFISSIONAIS