Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2020

HISTÓRIA DAS MULHERES NO CANADÁ: DA MEDICINA À JARDINAGEM

Imagem
Oi, pessoal. Hoje eu vou continuar a falar sobre as mulheres na História do Québec. As próximas da lista do livro Nossas Heroínas são: MULHERES NO JORNALISMO Henriette Dessaulles (1860-1946) foi a primeira mulher jornalista do Québec. Éva Circé-Côté (1871-1949) foi uma jornalista, escritora e bibliotecária. Ambas me fizeram lembrar a escritora brasileira Nísia Floresta (1810-1885) (link para a Wikipédia aqui ). Éva Circé-Côté, pioneira do jornalismo no Québec. MULHERES NO CIRCO Louise Armaindo (1861-1900) foi uma artista circense, que se exibia, principalmente, andando de bicicleta. Descobri recentemente que o futebol feminino era proibido, por lei, no Brasil de 1941 até 1983 (confira uma matéria no Jornal da USP que fala sobre isso, clicando aqui ). As poucas mulheres que jogavam futebol na época, se apresentavam no circo, como entretenimento. Acredito que o fato de “andar de bicicleta” fosse algo parecido no Québec. Louis Armaindo ficou famosa por

GUIA DE ALIMENTAÇÃO: BRASIL & CANADÁ

Imagem
Olá, pessoal.Para este fim de semana, eu planejei falar sobre alimentação no Canadá. Posterguei muito para escrever hoje, porque não é um tema que me motiva. Eu cozinho pouco no Brasil. Mas aqui eu aprendi muito sobre cozinha e alimentação. Agora vamos as minhas descobertas. Uma das primeiras coisas que chamou minha atenção foi o Guia da Alimentação do Canadá (nas línguas oficiais, Canada’s Food Guide ou Guide Alimentaire Canadien ). O Guia da Alimentação do Canadá é um documento que todos podem baixar gratuitamente na internet (vou deixar o link aqui ), que traz orientações oficiais do Governo do Canadá sobre como manter uma alimentação saudável e equilibrada. Em 2007, esse foi o segundo documento oficial canadense mais baixado na internet (segundo a Wikipédia em inglês, deixo o link aqui ). Assisti um programa de humor do Québec chamado Bye-Bye 2019 , onde os humoristas faziam piada sobre a edição de 2019 do Guia da Alimentação do Canadá, que cortou radicalmente a rec

MULHERES DO DINHEIRO, DO ESPORTE, DA MÚSICA, DA GUERRA E DA RELIGIÃO

Imagem
Descobri que existe um livro chamado Dicionário Mulheres do Brasil . O livro foi lançado em 2000, os autores são Maria Aparecida (Schuma) Schumaher e Erico Teixeira Vital Brazil. O livro traz 900 entradas sobre mulheres da História brasileira, que não são normalmente estudadas na escola. Ainda não tenho esse livro, mas, com certeza, tenho interesse em adquiri-lo. Hoje eu vou retornar a lista de mulheres do livro Nos Heroïnes ( Nossas Heroínas ) de Anaïs Barbeau-Lavalette e Mathilde Cinq-Mars sobre as mulheres que fizeram a História do Québec. Vou tentar fazer um paralelo com mulheres brasileiras. MULHERES DA RELIGIÃO Rosalie Cadron-Jetté (1794 – 1864) foi uma religiosa canadense, fundadora das Irmãs de Misericórdia de Montréal e reconhecida como venerável pela Igreja Católica. Retrato de Rosalie Cadron-Jetté feito por Marie Perras (1860), obra da coleção permanente do Museu das Irmãs de Misericórdia de Montréal. Madre Joana Angélica de Jesus (1761 – 1822) foi

O QUE ACONTECE QUANDO O DEMÔNIO SAI DO INFERNO? - CULTURA POPULAR NO QUÉBEC

Imagem
Boa noite, pessoal. Já fiz minhas metas para 2020, inclusive as de leitura. Recomendo a todas as pessoas o mesmo. É um hábito muito bom. Uma amiga escreveu “as metas não são sobre planos e sim pensar no que a gente realmente quer”. Concordo plenamente e achei muito bonito. Sobre as metas de leitura, este ano são vinte e quatro livros, incluindo 3 canadenses em inglês. Eu comprei os dois primeiros aqui e acredito que seja fácil baixar o outro na internet: The View from Castle Rock da Alice Munro (Prêmio Nobel de Literatura); Meta em 2020. Raised Somewhere Else – A 60s Scoop Adoptee’s Story of Coming Home de Colleen Cardinal; The Handbook for New Canadians to help new immigrants understand the culture and traditions of Canada de Alfred Fitzpatrick. Ainda estou lendo o livro do Michel Tremblay , trata-se mesmo de uma saga familiar. O escritor parece muito popular no Québec. É um tema de conversação que sempre me ajuda. Uma canadense me explicou que o primeiro