Postagens

QUANTOS SANTOS CANADENSES EXISTEM? – DIA DE AÇÃO DE GRAÇAS, ELEIÇÕES E LITERATURA NO CANADÁ

Imagem
Olá, pessoal! Muito obrigada pelas leituras e comentários. DIA DE AÇÃO DE GRAÇAS Amanhã é feriado aqui no Canadá. É Dia de Ação de Graças, um feriado que, de acordo com o que eu li, os canadenses passam em família, assim como o Natal. Os canadenses comemoram o Dia de Ação de Graças um mês antes dos norte-americanos. Arrisco dizer que seja por causa do clima. Os dias estão lindos neste fim de semana. Daqui a um mês, provavelmente estará mais frio. Além disso, também li que esse feriado é muito mais importante para os canadenses que falam francês, tradicionalmente católicos, do que para os que falam inglês, tradicionalmente protestantes.

ELEIÇÕES FEDERAIS NO CANADÁ Nesta semana, tivemos muitas notícias para comentar. Estava ocorrendo eleições federais no Canadá, ou seja, que vão escolher o líder principal, o primeiro-ministro. O Canadá é uma monarquia parlamentarista, subordinado à rainha da Inglaterra. Houve dois debates nesta semana, um em inglês na segunda-feira e outro em francês, na qu…

PRIMEIRAS IMPRESSÕES NO CANADÁ

Imagem
Eu cheguei em Toronto, na Província de Ontário, no Canadá, no dia 20 de setembro. Fiquei lá até o dia 27, quando viajei de trem para Montreal, na Província do Québec. Foi uma viagem de 6 horas de trem. No dia 29, peguei uma carona e vim para a cidade de Sherbrooke, no interior do Québec. A Região Metropolitana de Toronto tem 5,928 milhões de habitantes. A língua da cidade é o inglês. Já ouvi mencionarem que uma em cada três pessoas que mora em Toronto, não nasceu no Canadá. É uma cidade cosmopolita.

A Região Metropolitana de Montreal tem 4,099 milhões de habitantes. A língua oficial da cidade é o francês, mas tenho a impressão de que é uma cidade verdadeiramente bilíngue. É possível fazer quase tudo tanto em inglês quanto em francês. Recentemente, foi aprovada uma lei de secularização do Estado, que proíbe o uso de símbolos religiosos por parte de funcionários públicos na Província do Québec. Isso afeta principalmente as mulheres muçulmanas, que ficaram proibidas de trabalhar de véu. A…

UM POUCO DO QUÉBEC: FRANCÊS, HISTÓRIA E INDÍGENAS

Imagem
Segunda-feira, 9 de setembro de 2019. Estou com vergonha de escrever para vocês nesta semana, porque li muito pouco. Em compensação, viajei muito e meu visto saiu. Quando é para ser, parece que tudo conspira ao nosso favor. De repente, as coisas todas se desembaraçaram como em um passe de mágica. Vou para o Canadá no dia 19. Os sentimentos são mistos, mas sinto mais alegria e satisfação. Vou começar passando 10 dias em Ontário, uma província da parte inglesa, a mais populosa do país. Depois vou para o Québec, que fala francês.
DICAS PARA QUEM QUER APRENDER FRANCÊS Para quem quer aprender francês, o site da TV5 está me ajudando muito. Como eu vou fazer pesquisa sobre comércio eletrônico, os vídeos do site estão me ajudando a me familiarizar com os termos técnicos do mundo digital. Mas lá também tem exercícios para quem está começando (A1), para quem já sabe um pouco (A2) e dois níveis intermediários (B1 e B2). Clique aqui para acessar o site da TV5, estatal francesa. Além da TV5, também e…

ESTAMOS DE VOLTA!

Imagem
Olá! Fazem duas semanas que não escrevo por aqui. Por favor, me desculpem. Na primeira semana, viajei para Goiânia. Lá tive a oportunidade de participar de um projeto de agricultura familiar no assentamento de Canudos, a 300 km da capital. É um projeto internacional envolvendo várias universidades no Brasil, no Reino Unido e no Peru. Quem quiser saber mais, por favor, acesse o site, clicando aqui.


O nome Canudos é uma homenagem ao movimento liderado por Antônio Conselheiro (1830 – 1897) na Bahia. Esse local foi destruído por uma guerra sangrenta. Muita coisa do que sabemos sobre esse episódio da História Brasileira foi escrito por Euclides da Cunha (1866 – 1909) no livro Os Sertões. Euclides da Cunha autor homenageado pela Feira Internacional do Livro de Paraty (FLIP) deste ano, que só homenageou três mulheres escritoras até hoje (relembre aqui). Quando eu era estudante do ensino médio, eu tentei ler Os Sertões, mas acabei desistindo. Entre as várias descobertas que fiz nessas semanas d…

POR QUE É TÃO DIFÍCIL TERMINAR?

Imagem
Por que é tão difícil terminar? Não estou falando de relacionamentos (apenas). Há algumas semanas, entreguei o texto da tese para a qualificação. Os últimos dias foram os mais difíceis, porque eu ficava postergando, adiando com atividades inúteis ou menos importantes que eram passadas à frente. Esse comportamento é tão recorrente na minha vida que hoje faltavam menos de 30 páginas para terminar de ler o livro Bonjour Tristesse (Bom dia, Tristeza) e eu não terminava. Posterguei o máximo possível. A leitura não fluía. Também preciso comprar passagens e me preparar para uma viagem de 10 dias pelo Brasil, que não fiz. Até o final do mês, quero ir para o Canadá (para ficar 6 meses, está chegando, gente!). Mas, até isso, que é importantíssimo, eu postergo. Acho que o mecanismo por trás é o medo. O medo do sucesso. O medo da felicidade. O medo de dar certo. Mas deixa eu escrever um pouco sobre as coisas que li e aprendi essa semana. O escritor Joel Rufino dos Santos talvez seja o autor que m…

RELACIONAMENTOS ABERTOS - PARA COMEÇAR A PENSAR

Imagem
Estou lendo o romance francês Bonjour tristresse de Françoise Sagan, traduzido para o português como Bom dia, tristeza em várias edições, entre elas, a coleção da Folha, Mulheres na Literatura. É considerado um dos melhores textos da língua francesa no século XX. Trata-se de um romance, escrito na década de 50, sobre a vida afetiva e sexual de uma adolescente. Para a época, o livro foi considerado escandaloso por tratar da vida sexual de uma moça. Logo escrevo mais sobre ele.


Paralelamente, também estou lendo o livro brasileiro O anel que tu me desteO Casamento no Divã da psicanalista e terapeuta de casais há mais de 30 anos, Lidia Rosenberg Aratangy. Comecei este blog por sugestão de amigos, mas acho que só o mantive pelo sucesso inesperado dos meus comentários sobre os livros da psicanalista alemã e norte americana Karen Horney (1885-1952) sobre a necessidade neurótica de ser amado (a) (Relembre clicando aqui).

No final, talvez tudo passe por relacionamentos, até a política e econo…