Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2020

PROFISSÕES FRÁGEIS E ANTIFRÁGEIS: O PODER DA INFORMAÇÃO

Imagem
Boa noite, galera. Nesta semana, consegui evoluir na leitura do livro Antifrágil: Coisas que se beneficiam com o caosdo escritor e doutor em estatística líbano-americano Nassim Nicholas Taleb.

O autor divide a obra em sete livros. Sim, é um livro divido em livros, porque cada “sublivro” desenvolve um tema de maneira aprofundada e quase independente. Estou começando o Livro III. Essa divisão em livros me fez lembrar o livro Origens do Totalitarismo da Hannah Arendt que também é divido em três “sublivros”, Antissemitismo, Imperialismo e Totalitarismo. Mas parece que eram três livros separados mesmo, que a autora depois resolveu juntar.

O Livro I, na minha edição, vai da página 37 até a 95, e se chama O antifrágil: uma introdução. Como o título deixa claro, o autor define o que é e quais são as propriedades da antifragilidade. Também discute a escolha entre a antifragilidade do coletivo e a fragilidade dos indivíduos. O autor começa discutindo a importância de sabermos o antônimo (signifi…

ANTIFRÁGIL: COISAS QUE SE BENEFICIAM COM O CAOS

Imagem
Olá, pessoal. Para quem gosta dos textos mais técnicos, deleitem-se! Estou sentindo que, nas próximas semanas, só vêm textos de divulgação científica. Por que eu digo isso?Esta semana foi uma semana de retorno ao passado. Primeiro, eu fiz uma releitura da novela Khadji-Murát do escritor russo Liev Tolstói (1828 – 1910). É a segunda vez que leio este livro, a primeira foi em 2013.

Nesta semana, também chegou o livro Antifrágil: Coisas que se beneficiam com o caos do escritor, ensaísta, estatístico e analista de risco líbano-americano Nassmi Nicholas Taleb (nascido em 1960). Foi um presente de amigos muito queridos, que compraram e me mandaram pelo correio. Como é bom surpreender amigos com presentes nessa quarentena, né? Vocês também já experimentaram? Achei uma maravilha.É a primeira vez que estou lendo o livro Antifrágil, mas li A Lógica do Cisne Negro (do mesmo autor) em 2015. Esse livro teve um grande impacto sobre mim e me ajudou a decidir por seguir e continuar na carreira acadêm…

A BÍBLIA E O RACISMO: O QUE NÃO ESTÁ NA BÍBLIA?

Imagem
Olá, pessoal. É um pouco estranho ficar na moda. Quem lê o blog há algum tempo, já percebeu que eu milito contra o racismo. Agora com a tragédia do George Floyd, esse tema ganhou ainda mais relevância mundial. Espero que isso se torne um ponto de virada para que mais pessoas se tornem militantes contra o racismo.O ponto de virada que me fez aderir a causa antirracista foi a leitura do livro Origens do Totalitarismode Hannah Arendt(1906 – 1975). A filósofa alemã de origem judaica analisou o racismo na África do Sul. A maneira como ela explicou no livro me levou a crer que a África do Sul resistiu (e talvez ainda resista) em adotar o capitalismo para poder manter os privilégios raciais. Durante toda leitura, eu pensei em muitos paralelos entre a História da África do Sul e do Brasil e como nós também resistimos à adoção plena do capitalismo para manter os privilégios de alguns grupos. Isso me fez entender que quem defende o capitalismo e o liberalismo deve ser, obrigatoriamente, antirra…